“3 Mil Tons” no Auditório do Ibirapuera

Carregando mapa ....

Data / Hora
Date(s) - 23/07/2016
9:00 pm - 10:30 pm

Localização
Auditório do Ibirapuera

Colabore com a Agenda Preta

Categorias


O que um geógrafo, um ator e um cantor chamados Milton têm em comum? Para um olhar menos atento, apenas o nome. Mais que isso, Milton Santos, Milton Gonçalves e Milton Nascimento são três figuras masculinas negras que participaram ativamente da inserção do Brasil no mundo contemporâneo. No dia 23 de julho, o músico Salloma Salomão e alguns dos principais coletivos de artes de São Paulo sobem ao palco do Auditório Ibirapuera para uma homenagem a esses três personagens da história brasileira.

3mil tons
A obra de cada um dos Miltons foi revisitada a fim de fundir todos os trabalhos em um espetáculo poético musical de ação. Milton Gonçalves – ator, diretor e um dos responsáveis pela inauguração de uma estética do teatro negro – teve falas esmiuçadas para a construção das histórias. Na inserção do geógrafo e cientista social Milton Santos, foram levadas em consideração as análises feitas a partir do processo de urbanização da sociedade brasileira e dos impactos que ela teve na produção artística. Canções de Milton Nascimento e de Salloma Salomão costuram as narrativas delicadamente, unindo e tornando poéticos textos que originalmente não o são.

O espetáculo é dividido em quatro segmentos, ou narrativas interdependentes. O primeiro aborda um encontro fictício entre os três Miltons – aqui representados por um misto arquetípico da cultura popular negra, Três Reis Magos e/ ou Tríade de Reis do Congo. Também matrizes imagéticas africanas aparecem na forma de iconografias e símbolos gráficos em projeções digitais, trazendo assim outra noção de diversidade, em contraposição à história única construída sobre a cultura brasileira. A segunda parte possui a intensidade das histórias marítimas vividas pelos povos da diáspora, compostas de memórias fragmentadas de perdas e desterramento, dores e naufrágios.

A terceira narrativa fala sobre as “mulheres-sombra”, chamadas assim por serem negligenciadas nas biografias dos artistas. “Para a sociedade brasileira, as mulheres são desimportantes de forma geral – no sentido da vida social, da produção econômica, no contexto de governo. Há toda uma retórica sobre a importância da mulher, e ao mesmo tempo existem os mecanismos para mantê-la subalterna e invisível”, explica Salloma. A última parte traz o desejo de voo e autonomia. No encerramento, é fortalecida a mensagem geral do espetáculo – as utopias negras, englobando um dos sonhos mais básicos dos descendentes de africanos: a existência e a liberdade plenas.

Idealizado por Salloma Salomão, 3 Mil Tons conta com a colaboração do coletivo de artes Aruanda Mundi – que agrega a banda Al Andalus, a Companhia Capulanas de Arte Negra e dois grupos musicais, Clarianas e Deodara –, além de membros do Coletivo Negro, do Nucleozonaautônoma e do Ouro e Chá.

 

 R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Compre aqui o seu ingresso
.

 Classificação Indicativa: livre para todos os públicos

Comentários

comentários

Bruna Salles

Mulher Preta de duas cabeças. Na de dar Assistência ao Social, me encantei pela Articulação Cultural e cá estamos: Co-Fundadora e Coordenadora de Comunicação da Agenda Preta.

Comente