CORPO NEGRO NA ESCOLA – A DANÇA COMO PROCEDIMENTO METODOLÓGICO

Carregando mapa ....

Data / Hora
Date(s) - 30/04/2016
8:00 am - 11:00 am

Localização
Universidade Zumbi dos Palmares

Colabore com a Agenda Preta

Categorias


APRESENTAÇÃO:

Curso teórico ­prático aberto a professores, arte­ educadores, estudantes de pedagogia e interessados em geral que visa ampliar as possibilidades de abordagem da temática racial no ambiente escolar tendo como ferramenta principal a linguagem da dança, e ao mesmo tempo, gerar repertório de estratégias de trabalho para o educador por meio de atividades práticas.

MóduloI – Espelho, espelho meu…

Uma concepção de corpo/pessoa em África; ­ Eu sou meu corpo: conflitos no processo de formação de identidade ­ da pessoa negra; ­A noção de corpo e beleza e suas transformações em tempo e contexto; ­ Racismo no ambiente escolar: reconhecer para erradicar; ­ Corpo e som: focos de atenção da juventude periférica atual; ­ Olhar para trás: me re­conhecendo para ver o outro ­ Construção dinâmicas para sala de aula;

MóduloII – Aprender experimentando

Breve panorama das diferentes linguagens artísticas e visões contemporâneas da arte; ­ Entendendo relações entre corpo e som ­ Brasil um corpo musical; ­ Manifestações culturais afro­brasileiras – Breve histórico; ­ Prática de jogos de dança afro ­diaspórica; Construção de dinâmicas para sala de aula;

MóduloIII – Panorama da questão étnico-racial ontem e hoje

A questão sócio­racial no mundo contemporâneo – jovens negros e mulheres como principais vítimas ­ Diversidade cultural no continente africano ­ Diáspora africana no Brasil – Quem esteve aqui? Que condições de vida possuíam essas pessoas? ­ Construção de dinâmicas para sala de aula;

MóduloIV – Possíveis bases para trabalhar a cultura afro­brasileira na escola

Breve histórico de artistas afro­brasileiros importantes no desenvolvimento das artes­brasileiras – pós escravidão até a contemporaneidade ­ Conteúdos sociais presentes na cultura afro­brasileira: Memória, ancestralidade, religiosidade, oralidade, musicalidade, cooperação/comunitarismo, corporeidade, ludicidade e circularidade. ­ Construção de dinâmicas para sala de aula;

CARGA HORÁRIA:12HORAS

SERÁ EMITIDO CERTIFICADO

INVESTIMENTO:

ALUNOS DA UNIVERSIDADE ZUMBI DOS PALMARES:
Pagamento à vista: R$ 70,00 ou 2x de 40,00= R$ 80,00

EX ­ALUNOS DA UNIVERSIDADE ZUMBI DOS PALMARES
Pagamento à vista: R$ 80,00 ou 2x de R$ 45,00 = R$ 90,00

PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO,ou Educadores vinculados à ONGS:
Pagamento à vista: R$ 100,00 ou 2x de R$ 60,00= R$120,00

PÚBLICO EM GERAL:
Pagamento à vista: R$ 120,00 ou 2x de R$ 70,00= R$ 140,00

Indique um amigo participante e ganhe 10% de desconto em ambas as formas de pagamento!

FORMAS DE PAGAMENTO: ­
Depósito em conta bancária ­ Cheque pré­datado para 30 dias

NÚMERO DE VAGAS:24 participantes

Informações e inscrições via e­mail:
baobaartenegra@gmail.com

ROSE MARA SILVA

É Bacharel em Dança pela Universidade Estadual de Artes do Paraná, atualmente está à frente da coordenação do Núcleo de Danças Dandara dos Palmares na Universidade Zumbi dos Palmares. Em 2015, esteve no Senegal onde foi aluna do Curso Imersivo Dança Negra, Engajamento e Resistência na École des Sables – Centre de Danses tradicionelles et contemporaines d’Afrique, 2015. Com uma trajetória extensa em arte­educação, Rose trabalhou em projetos sociais realizados dentro de Escolas Públicas em Curitiba-PR, e em ongs em São Paulo, foi Arte­educadora de dança no PIÁ – Programa de Iniciação Artística da Divisão de Formação Artística e Cultural da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo 2014/2015, foi educadora no Conjunto Cultural da Caixa Econômica Federal Praça da Sé, entre outros. Ministrou a aula espetáculo: Suzart, Poética da Periferia – Cultura afro­ brasileira na Escola na 2a Bienal de Educación y Arte de Montevideo em 2014, e em 2012 foi contemplada com o Prêmio de Apoyo a la Investigácion y Educación Artística con Niñ@s, promovida pelo La granja Centro deArte e a Coordinación Nacional de Danza del Instituto Nacional Bellas Artes (México), no qual produziu um trabalho coreográfico com as crianças do Projeto Chamaco, em Amanalco de Becerra. Ministrou o Workshop – Arte Negra, identidade e Resistência: Estratégias Pedagógicas, no 2º Seminário Quilombo Mulheres Negras no Instituto de Artes da UNESP­SP, em 2015 e também Capacitações de Danças Brasileiras e Jogos Populares para professores e monitores do Programa Recreio nas Férias da Rede de Escolas Municipais de São Paulo pelo Projeto Brincante Itinerante do Instituto Brincante no mesmo ano. Ministrou capacitações Danças afro­brasileiras e Artes no ambiente escolar para professores de escolas públicas na zona norte e noroeste de São Paulo, no Projeto – Suzart, Poética da Periferia I e II em 2013/2014.

 

corpo negro na escola

Comentários

comentários

Bruna Salles

Mulher Preta de duas cabeças. Na de dar Assistência ao Social, me encantei pela Articulação Cultural e cá estamos: Co-Fundadora e Coordenadora de Comunicação da Agenda Preta.

Comente