Histórias da afro-atlânticas: filmes & vídeos

Carregando mapa ....

Data / Hora
Date(s) - 20/10/2018
4:00 pm - 5:30 pm

Localização
MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand

Colabore com a Agenda Preta

Categorias


 

A partir de setembro, o MASP inicia a programação Histórias da afro-atlânticas: filmes & vídeos. As sessões acontecerão às terças-feiras e aos sábados no pequeno auditório do museu. Serão exibidas mais de 20 obras audiovisuais que dialogam diretamente com a mostra homônima, e também com o conjunto temático das exposições realizadas pelo MASP em 2018.

Além da exibição de filmes considerados referenciais dentro de uma incipiente narrativa do cinema negro brasileiro, como Alma no olho (1973), de Zózimo Bulbul, e Deusa negra (1979), de Olá Balogun, as primeiras sessões da programação se dedicarão a apresentar produções de diretores atuantes do cenário nacional.

A programação também inclui sessões acompanhadas de bate-papos com diretores, como Jeferson De e Day Rodrigues que, além de comentarem suas próprias produções, também compartilharão suas perspectivas em relação ao atual contexto do audiovisual no Brasil, abordando, ainda a representatividade negra e a presença das mulheres. A sessão que exibirá o filme Abolição (1988) será seguida de uma conversa com o professor, crítico e curador Heitor Augusto, que comentará a importância da obra de Zózimo Bulbul na constituição de uma narrativa negra no cinema brasileiro.

Em um segundo momento, serão exibidos filmes internacionais com forte presença de diretores pioneiros do cinema africano, como Flora Gomes, cujo filme Mortu Nega (1988), considerado o primeiro longa-metragem de ficção rodado em Guiné-Bissau, relata os processos de independência no país liderados pelo intelectual Amílcar Cabral. As relações entre movimentos revolucionários de independência e produção cinematográfica em países africanos também são exploradas no vídeo CONAKRY (2013), das portuguesas Filipa César e Grada Kilomba e da estadunidense Diana McCarty. Em Afrique sur Seine (1955), de Jacques Mélo Kane, Paulin Soumanou Vieyra e Mamadou Sarr, considerado um dos marcos iniciais do cinema africano, a cidade de Paris é descrita a partir do ponto de vista de imigrantes senegaleses, nos levando a refletir sobre quais grupos étnico-raciais ocupam o lugar de observador.

PROGRAMAÇÃO

20.10 e 23.10

Afrique-sur-Seine
Jacques Mélo Kane, Paulin Soumanou Vieyra e Mamadou Sarr, 1955,
21’, p&b, 16mm

La Noire de…
Ousmane Sembène, 1965,
55’, p&b, 35mm

Serviço “Histórias afro-atlânticas: filmes & vídeos”
1.9.2018 – 6.11.2018
Sábados e terças, às 16h
Pequeno auditório do MASP (capacidade para 80 lugares)
Retirada de ingressos a partir das 14h, diretamente na bilheteria
Sessões gratuitas
Todos os filmes serão exibidos em projeção digital
Classificação indicativa: livre

Organização:
Leonardo Matsuhei – Mediação e programas públicos MASP

Comentários

comentários

Bruna Salles

Mulher Preta de duas cabeças. Na de dar Assistência ao Social, me encantei pela Articulação Cultural e cá estamos: Co-Fundadora e Coordenadora de Comunicação da Agenda Preta.

Comente