Mulheres Pretas e Gordas: 2º Encontro (Sob)re Medidas

Loading Map....

Data / Hora
Date(s) - 09/09/2017
1:00 pm - 8:30 pm

Localização
Tendal da Lapa

Colabore com a Agenda Preta

Categorias


Somos, em coletivo, mais um espaço de fala, escuta, afetos, acolhimento, protagonizado por mulheres pretas e gordas das periferias.

No próximo dia 09(sábado), a partir das 13h, no Tendal da Lapa, acontece o 2º Encontro (Sob)re Medidas. O projeto contemplado pelo Programa VAI (Secretaria Municipal de Cultura SP), no ano de 2017, surge da união de quatro mulheres pretas, gordas e das periferias da cidade. Sarah, Bruna, Juliana e Beatriz, militantes e ativistas em movimentos de luta, perceberam ao longo de suas vivências, a falta de representatividade de mulheres como elas, em lugares de poder, destaque e até mesmo nas pautas dos movimentos em que atuam. Vendo a necessidade de criar mais um espaço de fala, acolhimento e fortalecimento, para juntas, iniciarem construção de novas narrativas a partir de seu protagonismo. O projeto se dá através de um ciclo de encontros temáticos e itinerantes pela cidade, e paralelo aos encontros, a produção de um curta documentário. Foram selecionadas 16 mulheres pretas e gordas das periferias de São Paulo, Mogi Guaçu e Rio de Janeiro, para compor as mesas de discussão nos encontros, e participarem do curta enquanto personagens e equipe.

“Bom, por onde começar?
É complicado falar sobre algo tão presente na nossa vida mas tão ignorado por todos.
Não sei se você já tentou, mas eu te garanto, qualquer roda que você joga o tema sobre o corpo gordo não tem ninguém para apoiar. É como se todas as militâncias tivessem um time, mas o time das gordas não, um bonde só de manas gordas é bem difícil de ver, mas não somos poucas, só estamos espalhadas cada uma em uma subdivisão que por acaso como sempre ignoram nossas questões, se calam ou simplesmente te olham como quem diz “foda-se vai emagrecer e para de reclamar”.
O projeto tem como ênfase explanar temas que por vezes são negligenciados, colocar nossa cara no sol e mostrar que a vivência das mulheres gordas, dentro de qualquer campo de atuação, deve ser ouvida, respeitada e abordada, não só por nós, mas por [email protected]
Abandone o discurso de “amo gordas” com esse resquício de fetiche, ou de “hoje em dia tudo é bullying, vitimista, blábláblá saúde” e vem com quem tem algo a lhe ensinar.
Pra você mulher gorda, negra, periférica, lésbica, bi, trans, hetero, enfim, a você que precisa de espaço pra potencializar sua voz, sejam bem vindas e a vocês que não são, assistam ao espetáculo e divulguem, pois,
conhecimento é poder! ” – Juliana Andrade (coletivo)

Link do evento: https://www.facebook.com/events/125715258062893/

Comentários

comentários

Comente