Peça “Já Nascemos Mortos” relata crimes reais de homofobia

Carregando mapa ....

Data / Hora
Date(s) - 23/07/2016
8:00 pm - 9:30 pm

Localização
Sesc Belenzinho

Colabore com a Agenda Preta

Categorias


já nascemos mortos

Baseado em notícias de crimes homofóbicos e com apoio do grupo “Mães pela Igualdade” para coletar 20 depoimentos de familiares de vítimas que puderam contar suas histórias de perda, o espetáculo “Já Nascemos Mortos” parte da hipótese real de que homossexuais já nascem com sua sentença de morte anunciada, simplesmente por serem o que são. As coreografias, textos e cenografia têm a intenção de apresentar corpos sentenciados e conduzem o público à comoção e cumplicidade com essas mortes, além da experiência sensorial do cheiro de dama da noite.

O espetáculo é uma possibilidade de se pensar sobre quem morre e quem mata, de que há uma grande violência se fortalecendo quando não se impede uma piada homofóbica, quando não se permite que o outro se expresse da sua forma. A peça também pode provocar uma pergunta: o que nós temos com isso?. “Quando nos calamos para o apedrejamento, para o gatilho puxado, para a paulada, escolhemos um lado mesmo que não seja feito pelas nossas mãos!”, dispara o diretor Anderson Maciel.

O grupo paulistano Coletivo Cultural Sankofa é formado por artistas e educadores que, desde 2012, pesquisam e desenvolvem ações voltadas às diversas questões que envolvem os temas da Diversidade – raça, gênero e sexualidade. Para o final de 2016 está prevista uma montagem cênica com apoio do Instituto Brasileiro de Transmasculinidades (IBRAT) e financiamento do Programa VAI da cidade de São Paulo, que visa discutir as relações e violências sofridas na infância e adolescência, relacionadas a questões de gênero e sexualidade, cujas apresentações serão itinerantes por residências da Zona Leste e três parques.

FICHA TÉCNICA:

Concepção e Direção: Anderson Maciel
Intérpretes Criadores: Carol Pitzer, Davi Scorzato, Jonas Bueno, Orlando Sousa, Rodrigo Mar e Tata Ribeiro Textos: O Coletivo
Preparação de Elenco: Adriano Mota
Figurinos e Cenografia: Marcia Novais e Sissa de Oliveira
Trilha Sonora: Uelinton Seixas
Desenho de Luz: Betto Severo
Fotografia: Sissa Oliveira e Orlando de Souza

SERVIÇO:

Quanto: grátis – com distribuição de ingressos 1 hora antes do espetáculo
Quando: sábado 23 de julho às 20 horas
domingo 24 de julho às 18 horas
*Não será permitida a entrada de menores de 18 anos, mesmo acompanhado do responsável.

Comentários

comentários

Bruna Salles

Mulher Preta de duas cabeças. Na de dar Assistência ao Social, me encantei pela Articulação Cultural e cá estamos: Co-Fundadora e Coordenadora de Comunicação da Agenda Preta.

Comente